Maturidade, IoT, Cloud e Fog Computing?

Maturidade, IoT, Cloud e Fog Computing?

Maturidade

As tecnologias de IoT costumam levar mais de uma década para avançar em direção ao centro do radar de tecnologias emergentes.

As tecnologias típicas descritas aqui demoram cerca de 12 anos para deixarem de estar “longe no horizonte” e tornarem-se tão maduras e amplamente adotadas que a IoT Analytics as considera “mainstream” (caso uma tecnologia se torne mainstream, o que nem sempre é o caso). A computação em nuvem, por exemplo, demorou cerca de 12 anos para ser considerada “mainstream” nas configurações de IoT – Nota: a AWS foi lançada pela primeira vez em 2006. A pesquisa em 5G foi iniciada em 2012 e era considerada no horizonte naquele momento. Ele passou para o nível “Coming up” agora e espera-se que atinja o mainstream para aplicativos de IoT no período de 2024-2025 (~ também 12 anos depois). Deve-se notar, porém, que algumas tecnologias amadurecem mais rapidamente que outras. A pesquisa sobre 6G começou em 2019, a propósito.

Qual a relação entre IoT, Cloud e Fog Computing?

computação em nuvem abriu muitas portas e trouxe consigo mudanças na vida das pessoas. Os espaços de trabalho e de lazer se modificaram. A forma de realizar tarefas simples passou a ser automatizada e conectada à internet.

Não apenas isso, da mesma forma que as pessoas imergiram na conexão wi-fi, os dispositivos passaram a ser mais inteligentes e conectados, gerando o movimento da Internet das Coisas. Mas afinal, o que é Fog Computing e como ela se liga a tudo isso?

Fog Computing não é uma substituta para a computação em nuvem. Muito pelo contrário, ela complementa o serviço da nuvem, fazendo uma pré-análise dos dados, evitando sobrecarregar o armazenamento em cloud. Isso é extremamente útil, principalmente em um cenário recentemente mostrado pela Cisco. Estima-se que até 2020, o volume de tráfego de nuvem chegue a 92% do total, ou seja, irá quadruplicar. Além disso, até 2019, são previstos 507,5 zettabytes armazenados em nuvem.

Mas afinal, como isso tudo se relaciona com a IoT? Como dito anteriormente, os dispositivos de IoT geram e compartilham dados entre si para funcionarem. Para realizarem ações concretas, esses dados precisam ser processados e transformados em informações claras. O ponto principal, é que o volume de dados gerado é imenso e, apenas a nuvem, já não consegue mais processar e retornar rapidamente o comando exigido pelos dispositivos de IoT.

Nesse cenário, a Fog Computing surgiu como um respaldo para o funcionamento ágil e eficiente da IoT. Pois capta os dados antes da nuvem e já os transforma em informações diretas, a serem redirecionados ao dispositivo de destino. Isso tudo, com a garantia de segurança aos dados transmitidos.

É nesse contexto que nós trabalhamos com nossa plataforma de IoT. Otimizando a infraestrutura, a nuvem e a aplicação.

 

Recommended Posts

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *