Desperdício de energia na Indústria

Desperdício de energia na Indústria

Segundo recente pesquisa da Fundação Getúlio Vargas (FGV) em parceria com a Agência Brasileira de Desenvolvimento Industrial (ABDI), 54,4% das grandes empresas brasileiras devem ampliar suas iniciativas em inovação nos próximos três anos e 37,3% manterão os investimentos nos padrões atuais.

O levantamento põe em debate o novo acordo entre Mercosul e União Europeia, uma vez que o mercado brasileiro será impactado com um grande volume de produtos europeus altamente competitivos. Por essa razão, a indústria nacional terá de investir pesadamente em inovação, produtividade e tecnologia, não apenas para salvaguardar uma fatia importante do próprio mercado, mas também para usufruir do enorme potencial que os dois blocos juntos, com mais de 750 milhões de consumidores, representará.

A geração e o consumo de energia elétrica estão entre os maiores entraves contra a alavancagem produtiva da indústria brasileira. Um recente estudo elaborado pelo American Council for an Energy-Efficient Economy colocou o Brasil entre os últimos cinco colocados de uma lista com 25 países, no que se refere às políticas públicas e práticas empresariais para a gestão eficiente de energia.

Entre as principais razões que explicam o baixo desempenho brasileiro destaca-se o investimento insuficiente em inovação. Apenas para comparar, enquanto direcionamos cerca de 191 milhões de dólares por ano para projetos de eficiência energética, a Alemanha já ultrapassou o montante de 2,5 bilhões de dólares, ou seja, cerca de 13 vezes mais.

O desperdício de energia é também um outro importante ponto de atenção. Dados recentes divulgados pela ABESCO (Associação Brasileira das Empresas de Serviços de Conservação de Energia) mostram que, entre 2014 e 2016, o Brasil desperdiçou o equivalente a 140% do montante anual gerado pela usina de Itaipu. São mais de 60 bilhões de reais que poderiam ter sido salvos caso tivéssemos investido mais pesadamente em tecnologia.

A indústria é uma das maiores responsáveis por esse quadro, visto que consome ao menos 40% de toda a energia produzida no país. Maquinário obsoleto, motores com problemas de manutenção e a ainda insuficiente integração dos processos produtivos às últimas inovações tecnológicas são os grandes responsáveis por tamanho desperdício.

Investimento em Transformação Digital pode ser saída inteligente para aumentar a produtividade

Para contornar o desperdício de energia, a indústria brasileira precisa investir pesadamente em transformação digital. As soluções de Internet das Coisas (IoT) e os sistemas inteligentes cada vez mais precisos e integráveis garantem processos produtivos muito mais eficientes e sustentáveis. A McKinsey já afirmou que as fábricas inteligentes podem economizar até 20% no consumo de energia e elevar em 25% a produtividade do trabalho.

Ficou interessado, a 3G SOFT tem soluções para monitoramento de consumo combinando aumento de produtividade e eficiência.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *