COMO MELHORAR OS INDICADORES INDUSTRIAS

COMO MELHORAR OS INDICADORES INDUSTRIAS

A máxima de W. Edwards Deming, ícone da qualidade total e melhoria de processos: “Aquilo que não se pode medir, não se pode melhorar”, e isso é uma verdade que não pode ser deixada de lado nunca por um gestor de empresas.

Os indicadores de desempenho e produtividade industrial são extremamente importantes para mensurar a qualidade dos produtos, dos processos, fazer controle de estoque, medir o tempo de fabricação, da produção geral, do tempo de preparação, a satisfação de clientes e colaboradores, entre muitos outros.

O objetivo dos indicadores de produção industrial é melhorar o desempenho da sua empresa ajudando a alcançar melhores resultados, como:

  • Assegurar uma estratégia eficiente de acordo com as metas do negócio;
  • Garantir a qualidade do que está sendo entregue ao cliente;
  • Definir com clareza a relação de custo-benefício;
  • Verificar a capacidade de performance de recursos adotados.

Como escolher indicadores de produtividade industrial?

Cada empresa tem processos e necessidades diferentes, assim como produtos e serviços. Porém, o mais importante, o foco, é se concentrar nos indicadores de produção industrial que vão medir a melhoria da experiência do cliente com a sua marca.

Mas como ter acesso a todas essas informações?

Nessas horas, não terá como escapar do uso de tecnologias, onde o mais indicado é usar um software, para acompanhamento desses indicadores, em tempo real.

Ele vai simplificar o entendimento e avaliação dos indicadores escolhidos e ajudar a captá-los, analisá-los e compartilhá-los de maneira eficiente.

Afinal, informações retiradas de simples planilhas não passam muita confiança na hora de tomar decisões e elaborar um bom planejamento estratégico, não é mesmo?

Para isso, é imprescindível se basear em informações e dados concretos, confiáveis, precisos e atualizados.

Para colocar tudo isso em prática, procure uma empresa consolidada e experiente.

Os três indicadores de produção industrial mais importantes

Medir, analisar e melhorar efetivamente as atividades por meio dos indicadores de produção industrial não é tão simples quanto parece. Embora existam determinados indicadores de produtividade industrial que funcionam bem para trabalhos específicos, muitas vezes há várias combinações de indicadores necessários para garantir que um objetivo de negócio seja alcançado. As indústrias são constituídas, basicamente, de duas coisas: pessoas e equipamentos. De certa forma, a eficiência desses equipamentos define 50% do sucesso operacional de uma indústria.

1- OEE (Eficiência Global dos Equipamentos)

O indicador OEE (Overall Equipment Effectiveness) mede a eficiência global do equipamento. É utilizado para qualificar e indicar a maneira como a operação de fabricação é realizada e auxilia na melhoria dos processos de manutenção e produção da empresa.

Por que eficiência global?

Por ele se basear nos três principais fatores de sucesso de uma indústria:

  1. Disponibilidade;
  2. Produtividade;
  3. Qualidade.

Não adianta nada uma indústria ter equipamentos disponíveis, se eles estão produzindo abaixo do desempenho esperado ou produzindo muito, porém, sem qualidade nenhuma.

A fórmula para cálculo do OEE é bem simples:

OEE = %disponibilidade x %produtividade x %qualidade

O primeiro passo é calcular o percentual de disponibilidade.

As fórmulas para cálculo de cada fator são:

  • Disponibilidade = tempo produzido/tempo disponível x 100
  • Produtividade = produção real/produção teórica x 100
  • Qualidade = peças boas/total de peças produzidas x 100

E como saber se o resultado é bom ou ruim?

O OEE de Classe Mundial nas plantas mais automatizar é maior que 85%. Mas isso não significa que atingir esse percentual significa que tudo bem.

Há algumas regras de mais detalhadas a seguir:

  • A disponibilidade precisa ser maior ou igual a 90%
  • A produtividade precisa ser maior ou igual a 95%
  • A qualidade precisa ser maior ou igual a 99.9%
  • Se você alcançou os 85% seguindo essas regras, então você atingiu a eficiência global.

2- OLE (Eficácia Geral do Trabalho)

O OLE (Overall Labor Effectiveness) é um indicador que analisa o efeito cumulativo que três fatores da força de trabalho têm na produtividade (mão de obra), permitindo assim, tomadas de decisões operacionais mais precisas e ações corretivas ágeis.

Os três fatores são:

  • Disponibilidade: a porcentagem de tempo que os funcionários gastam fazendo contribuições efetivas;
  • Desempenho: a quantidade de produto entregue;
  • Qualidade: a porcentagem de produto produzido apto para venda.

Por meio do OLE, é possível verificar aspectos como: entendimento de inatividade da máquina, atrasos, absenteísmo, etc.

Assim, a indústria consegue avaliar a competência dos funcionários em suas funções.

O cálculo é:

  • Disponibilidade = Tempo produtivo de trabalho dos operadores/Hora planejada
  • Produtividade = Saída efetiva dos operadores/Saída esperada (ou padrão de trabalho)
  • Qualidade = Total de peças vendáveis/Total de peças produzidas

OLE = Disponibilidade x Produtividade x Qualidade

3- OTIF (On Time In Full)

Esse é um indicador importante para melhorar a entrega dos pedidos e serviços e o seu rigoroso cumprimento garantirá a satisfação dos seus clientes.

A OTIF de acompanhamento destacará as deficiências no seu processo de pedido completo, desde a criação do pedido até a entrega.

Com ele, é possível avaliar se “Atendeu/Não Atendeu”.

On time significa atender ao compromisso que você tenha feito com seu cliente em qualquer dia e horário, e in Full significa se nada faltou nada na entrega (nem material, nem peças), se os produtos estavam de acordo com as especificações acordadas, caso contrário, você não entregou “na íntegra”.

O cálculo é: OTIF = %on time x %in full = (resultado)

Alcançar o OTIF de 100% quer dizer que todos os pedidos dos clientes foram atendidos no prazo e na quantidade/especificação certas. Ficou claro para você como calcular esses indicadores de produção industrial?

Bem, mas você pode estar se perguntando, por onde e como eu começo se minha empresa não possui a conectividade de máquinas, ou se meu PCP depende de apontamentos manuais?

Sugiro, nesse caso buscar ajuda de um profissional ou empresa que tenha expertise em Indústria 4.0, para elaborar um projeto, esse é o primeiro passo, pois existem certa complexidade e as novas tecnologias de IoT que podem ser empregadas, tornando seu projeto mais eficiente, econômico e moderno. Consulte a 3G SOFT agora mesmo.


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *